Nota de pesar: Theotônio dos Santos

Nota de pesar: Theotônio dos Santos
Crédito da foto:Divulgação

Faleceu nesta terça-feira (27), no Rio de Janeiro, o intelectual Theotônio dos Santos, um dos principais formuladores da teoria marxista da dependência e da teoria do sistema-mundo, duas das mais importantes abordagens de investigação crítica das redes de dominação e exploração do capitalismo global.

A vasta obra de Theotônio, publicada em 16 idiomas, deixa-nos análises valiosas. Junto a Ruy Mauro Marini e Vânia Bambirra, esse mineiro de Carangala demonstrou que a superação do subdesenvolvimento latino-americano não poderá ser feita nos marcos do capitalismo, dado seu caráter imperialista – e sua contraparte, a estrutura dependente das nações periféricas, de sua formação de classes e Estado. Suas profundas investigações seguem iluminando a reflexão estratégica sobre um projeto popular para o Brasil, alimentando a convicção de que a luta por emancipação social caminha lado a lado com o enfrentamento ao imperialismo. Esse enfrentamento, ensinaram-nos Theotônio, Vânia e Ruy, não pode ser conduzido em aliança com os grandes grupos capitalistas internos, estruturalmente associados e submissos ao imperialismo, como os bancos e agronegócio.

Professor emérito da Universidade Federal Fluminense, coordenador da Cátedra e Rede da Unesco e da Universidade das Nações Unidas sobre economia global e desenvolvimento sustentável, doutor honoris causa por universidades de diversos países, Theotônio foi muito mais que um intelectual brilhante e reconhecido internacionalmente. Militante socialista, esteve dois anos clandestino no Brasil na direção da organização Política Operária (POLOP), após o golpe de 1964. Exilou-se no Chile, em 1966, onde militou no Partido Socialista e dirigiu o Centro de Estudos Socioeconômicos da Universidade do Chile, retomando o grupo de formulação da teoria da dependência que iniciara na Universidade de Brasília. Em 1973, novo golpe: o governo Salvador Allende é derrubado no Chile, e Theotônio dos Santos se exila pela segunda vez, indo para o México, onde se torna professor titular da Divisão de Pós-graduação de Economia da Faculdade de Economia e Filosofia da Universidad Nacional Autonóma de México (UNAM).

O PSOL presta suas homenagens a esse grande lutador, eterno mestre dos povos de Nuestra América.

Theotônio dos Santos, PRESENTE!

Juliano Medeiros
Presidente Nacional do PSOL

Sobre o autor

Equipe da Secretaria de Comunicação Nacional

Assuntos Relacionados