fbpx

Bancada do PSOL em obstrução total contra Reforma da Previdência

Bancada do PSOL em obstrução total contra Reforma da Previdência
Crédito da foto:PSOL 50

Os trabalhos do Legislativo em 2018 foram retomados nesta terça-feira (06/02) com a promessa do governo de Michel Temer de votar a reforma da Previdência até o dia 19 deste mês. Mas o PSOL e outros partidos de oposição reafirmaram que não darão trégua à batalha para derrotar o maior ataque à aposentadoria dos trabalhadores brasileiros.

Em ato realizado na Câmara, a bancada do PSOL, deputados e senadores de outros partidos, como PT, PCdoB e PSB anunciaram, nas diversas falas, que, a partir de agora, entrarão em obstrução de todas as pautas, com o objetivo de barrar as votações.

Além dos parlamentares, também marcaram presença no ato o presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros; o coordenador nacional do MTST e representante da frente Povo Sem Medo, Guilherme Boulos; e dirigentes de centrais sindicais e diversos movimentos sociais.

Foto: PSOL 50

Durante o ato, o novo líder do PSOL na Câmara, Ivan Valente (SP), falou da importância de seguir com as mobilizações nas ruas e no parlamento para barrar a aprovação desta “deforma” do sistema previdenciário brasileiro. Ele também destacou que o partido seguirá em obstrução.

Vamos derrotar a reforma da Previdência!

NÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA! VIVA A LUTA DO POVO BRASILEIRO! FORA TEMER!Na tarde desta terça-feira (06.02), a bancada do PSOL na Câmara participou, junto com movimentos sociais e representantes de outros partidos, do ato contra a reforma da Previdência. O líder do PSOL na Câmara, Ivan Valente (SP), falou da importância de seguir com as mobilizações nas ruas e no parlamento para barrar a aprovação desta "deforma" do sistema previdenciário brasileiro.

Posted by PSOL na Câmara on Tuesday, February 6, 2018

O presidente do PSOL lembrou, em sua fala, que 2017 foi um ano muito difícil para o povo brasileiro e para o conjunto dos movimentos sociais e destacou que 2018 a resistência será ainda maior, no parlamento e nas ruas, para enfrentar a agenda de retrocessos colocada na ordem do dia pelo governo Temer. Ele também destacou a participação do PSOL na construção do dia nacional de lutas em 19 de fevereiro.

“Começar o ano de 2018 com essa demonstração de força e unidade política, através de uma composição de uma frente, que não é só mais parlamentar, mas uma frente política e social, com diversas entidades do movimento sindical, do movimento camponês, do movimento popular, da juventude, das mulheres, é muito importante. Essa demonstração de forças aqui não estará restrita ao parlamento. Para o dia 19 de fevereiro está convocada, pelas centrais sindicais, uma grande composição de unidade para um dia nacional de lutas. Esse dia de lutas conta com o apoio do PSOL, da nossa militância, em todas as capitais do país, para consolidar aquilo que, para nós, será a nossa primeira vitória em 2018, que será derrotar a reforma da Previdência”, destacou Medeiros.

Foto: PSOL 50

Sobre o autor

Equipe da Secretaria de Comunicação Nacional

Assuntos Relacionados