Gean faz ofensiva midiática pela privatização da saúde e educação

O prefeito Gean Loureiro (PMDB) lançou uma grande ofensiva midiática em todos os meios de comunicação, com o objetivo de fazer aprovar seu projeto de privatização da saúde e da educação municipal. Apresentado em regime de urgência, Gean quer autorização da Câmara de Vereadores para repassar a administração de creches, unidades de saúde e outros serviços para as chamadas “Organizações Sociais”. Este modelo de gestão privatizada é alvo de críticas e de investigações de corrupção em todo o país.

 

Leia o projeto na íntegra

 

A Prefeitura não tem poupado dinheiro para convencer a cidade de seu projeto. Entre o dia 7 e 9 de abril, foram publicados anúncios de página inteira nos jornais Diário Catarinense e Notícias do Dia, além de comerciais em rádios e emissoras de televisão. Só na mídia impressa, foram gastos R$ 35.721,46 apenas nesta segunda-feira. A narrativa chantagista da peça publicitária chegou a ser transmitida no intervalo do programa Fantástico, da Rede Globo, um dos horários mais caros da televisão brasileira.

 

 

Chantagem

Anúncio publicado no Diário Catarinense desta segunda (09/04)

 

Um dos comerciais afirma: “O projeto já está na Câmara. Ou ele é aprovado, ou não tem mais creche educando. Ou ele é aprovado, ou não tem UPA funcionando. Então peça o apoio do seu vereador. Ou não vamos ter creche e saúde já”.

O Sindicato dos Servidores Municipais, o Sintrasem, convocou os servidores para uma assembleia para o dia 11 de abril. Em nota publicada em sua página na internet, o sindicato afirma: “Gean, que trabalha em sintonia com Michel Temer e com o PMDB, tenta aproveitar o golpismo que assola o país para destruir a estrutura municipal. Adiantamos para o prefeito desde agora: não aceitaremos as OSs no serviço público!”.

 

FONTE: http://afranio.org.br/2018/04/gean-faz-ofensiva-midiatica-pela-privatizacao-da-saude-e-educacao/

Mais

Boulos debate propostas para programa de governo, em Florianópolis

    Com palavras de ordem como “Eu não abro mão de um presidente que …