Nota de repúdio ao Governo de Brusque

A Executiva do PSOL de Santa Catarina manifesta seu repúdio pela intensa e clara perseguição política por parte da Prefeitura Municipal de Brusque contra Álisson Castro, presidente do PSOL de Brusque.

Esta perseguição vem ocorrendo desde fevereiro de 2018, quando Álisson Castro e o PSOL iniciaram uma série de denúncias em redes sociais e representações junto ao Ministério Público, sempre apontando irregularidades cometidas pelo governo do município de Brusque. Duas dessas representações – a da Lei Anti-Nepotismo e a do aumento ilegal do IPTU – resultaram na exoneração de mais de 10 cargos comissionados que tinham relação de parentesco com vereadores e também na revogação do Decreto 8.090/2018 que atualizou ilegalmente a planta genérica de valores do IPTU em 5%.

O PSOL/SC repudia e condena tais atitudes que partem do próprio núcleo gestor do governo municipal em uma clara tentativa de intimidar e calar o PSOL e seus representantes no município.

Nos solidarizamos com o companheiro que vem sofrendo assédio moral no local de trabalho e ressaltamos que esse tipo de ação remete a práticas de estados totalitários, não correspondendo com o estado democrático de direito no qual vivemos. Nos solidarizamos também com os servidores da Fundação Cultural de Brusque que assinaram manifesto de apoio a Álisson Castro e que também vem presenciando ou sofrendo assédio moral por parte do mesmo cargo comissionado desde 2015. Os desdobramentos desses casos serão acompanhados pela Executiva Estadual
do PSOL.

Florianópolis, 09 de abril de 2018

Mais

O Povo de Santo e o Direito à Cidade

  Os mandatos dos vereadores Ver. Lino Peres (PT) e Marquito – Marcos José de …