PSOL lamenta assassinato de Cacau e reafirma: para nós, luto é verbo!

PSOL lamenta assassinato de Cacau e reafirma: para nós, luto é verbo!

Tomamos conhecimento, perplexos, que na noite do dia 11 de abril mais um das fileiras do PSOL tombou. Trata-se de Antonio Carlos Silva Almeida, também amplamente conhecido como Cacau. O fato ocorreu na cidade de Capim Grosso, interior da Bahia.

Cacau foi candidato a prefeito pelo PSOL em 2012 na cidade e havia se colocado à disposição para a candidatura a deputado federal. Ativo militante, iria participar de atividades realizadas pelo partido em Senhor do Bonfim no próximo sábado, 14 de abril, data que marca um mês do brutal assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco, ainda sem identificação de seus algozes, crime político com características misógina e racial, que também vitimou o motorista que a acompanhava, Anderson Gomes.

Essa sequência de atos expressam um aprofundamento da crise política e institucional. No Brasil e no mundo, estamos diante da aceleração dos retrocessos e de uma brutal etapa regressiva nas poucas conquistas de trabalhadoras e trabalhadores, do povo, acumuladas às custas de muito sangue, suor e lágrimas, tendo como momento mais marcante no Brasil o golpe de 2016. Mesmo a democracia burguesa representativa, que não nos atende, vem sendo afrontada numa velocidade que atinge o ápice com os assassinatos, ameaças e atentados, declarações contraditórias e ameaçadoras de autoridades do Exército, do poder Judiciário e da repressão burguesa.

Só na Bahia, a violência perpetrada contra Cacau se junta a tantas outras lutadoras e lutadores do povo, como a de Marcinho do MST. Sendo assim, nos solidarizamos com familiares e amigos, o povo de Capim Grosso, lutadoras e lutadores do campo e da cidade ao tempo em que reafirmamos o compromisso de engrossarmos as fileiras da resistência por um mundo mais humano, socialmente referenciado, livre de toda a forma de opressão e sem classes.

Representação da direção do PSOL Bahia se encontra na cidade de Capim Grosso e acompanha as investigações por parte do delegado local. Também foi protocolado pela direção estadual pedido de audiência com o Secretário Estadual de Segurança Pública do Estado da Bahia, Maurício Barbosa. É preciso que os fatos sejam apurados!

Convocamos a militância, trabalhadoras e trabalhadores, o povo, a ir para as ruas resistir e lutar por democracia, direitos e cidadania frente ao avanço do autoritarismo e da violência política.

Só a luta muda a vida!

Cacau vive!

Executiva Nacional do PSOL

Sobre o autor

Equipe da Secretaria de Comunicação Nacional

Assuntos Relacionados