Contra manobras, PSOL quer votação de processo contra Temer depois do recesso parlamentar

Contra manobras, PSOL quer votação de processo contra Temer depois do recesso parlamentar
Crédito da foto: Bruna Menezes / PSOL na Câmara

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados denunciou, em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (06/07), as manobras da base governista para livrar Michel Temer das denúncias da Procuradoria-Geral da República (PGR) por corrupção passiva no caso da JBS.

Os deputados da base governista articulam para que a votação aconteça durante o recesso parlamentar, quando o quórum da Casa será muito baixo. Isso faria com que as chances de Temer aumentassem, já que são necessários ao menos 342 votos para que seja autorizado o início da investigação contra o presidente.

Já o PSOL luta para garantir transparência e equidade ao processo. A proposta da bancada é que a discussão sobre a denúncia aconteça durante o recesso, mas a votação apenas em agosto, quando todos os deputados estarão de volta em Brasília.

Além disso, o PSOL quer que votação ocorra nos mesmos moldes da sessão que abriu o processo de impeachment em 2016: em um domingo, com transmissão ao vivo para todo o país e chamada nominal dos deputados.

O líder do PSOL, Glauber Braga, criticou a declaração do presidente Rodrigo Maia de que abriria a  a votação quando atingisse o quórum de 342 deputados. “Que história é essa? Num dia sem quórum alto qualquer votação é temerária”.

Na coletiva, a bancada do PSOL também afirmou que seguirá cobrando para que sejam realizadas oitivas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures e de especialista do Instituto Nacional de Criminalística para legitimar a gravação feita pelo empresário Joesley Batista.

Membro da comissão, Chico Alencar afirmou que a defesa apresentada por Temer é “profícua em adjetivos e retóricas”, mas inconsistente por tentar defender o indefensável. “A defesa é uma peça acusatória ao Ministério Público, a Procuradoria Geral da República e ao Supremo Tribunal Federal, parte do argumento de que tudo seria ficção e segue na linha do irreal e fantástico”, avaliou o deputado.

A assessoria jurídica da bancada do PSOL montou uma análise sobre a defesa de Temer, apresentada nesta quarta-feira (05/07) na Câmara. Clique aqui para ler.

Assista à transmissão da coletiva de imprensa da bancada do PSOL na Câmara:

Bancada do PSOL fala sobre suas iniciativas em relação aos procedimentos na CCJ e no plenário da Câmara, análise do documento da defesa – que é sobretudo ataque ao Ministério Público –, novas denúncias contra Temer e a passividade interessada de Rodrigo Maia.

Posted by PSOL na Câmara on Thursday, July 6, 2017

 

Sobre o autor

Foto de perfil de PSOL Nacional

Equipe da Secretaria de Comunicação Nacional