Jean Wyllys | A maior Parada do Orgulho LGBT do mundo

Jean Wyllys | A maior Parada do Orgulho LGBT do mundo
Crédito da foto: Ig Aronovich/Lost Art

Eu não posso deixar de estar radiante pela força que demonstra neste ano a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Em meio a uma crise política sem precedente no país, e que tem como uma das suas consequências mais importantes um recrudescimento do conservadorismo, mais de 2 milhões de pessoas se reuniram na Avenida Paulista, neste domingo (18/06), para celebrarem a diversidade, defenderem a laicidade do Estado e bradar #ForaTemer e #DiretaJá em muitos dos trios. Portanto, temos um recado poderoso!

Algumas pessoas mal compreendem a importância do evento e falam que é apenas música e trios elétricos. Reduzem a carnaval uma manifestação que, nos bastidores, movimenta esforços de centenas de pessoas e o trabalho de ativistas do país todo.

Ora, quem acha que o fato de haver festa diminui a importância política do evento se engana. Milhões de pessoas LGBT desfilando livremente seu afeto nas ruas de um país como este, campeão mundial de violência cometida por motivo homofóbico, é, sim, um ato político.

Foi nesta mesma Avenida Paulista, que hoje reuniu todas as nossas expressões de classe, gênero, raça etc., que ao longo dos outros dias do ano testemunhamos o preconceito. Ou quem não se lembra naquela lâmpada na cabeça de um casal que, passando por ali, ousou dar as mãos publicamente?

Hoje, entregamos a nossos detratores a nossa resposta. Em vez da mesma violência que usam contra nós pra se manifestar politicamente pelo ódio, nós nos manifestamos com liberdade e amor. Somos milhões e não somos fracos.

Acima de instituições e indivíduos, nos reunimos dentro da nossa própria diversidade em um evento que, pela sua forma, é capaz de congregar nossas diferentes estratégias de luta e as nossas específicas vulnerabilidades. São Paulo emite um sinal em sete cores para o restante do mundo: não há democracia sem direitos para as pessoas LGBT.

Sobre o autor

Jean Wyllys é deputado federal pelo PSOL-RJ.