PSOL participa ativamente da construção da greve geral

Confira, abaixo, a resolução aprovada pela Executiva Nacional do PSOL, durante reunião realizada no dia 1º de abril, em São Paulo, sobre a participação do partido na greve geral do dia 28 de abril.

PSOL participa ativamente da construção da greve geral

No dia 28 de abril, trabalhadores de várias categorias, dos serviços público e privado, vão parar o país com o objetivo de barrar os ataques promovidos pelo governo de Michel Temer e pela base governista no congresso nacional. A data foi aprovada no dia 27/03, em reunião, em São Paulo, com as presenças de todas as centrais sindicais do país.

As contrarreformas previdenciária e trabalhista e a Lei das terceirizações, são medidas orientadas pelo FMI e pelo imperialismo norte-americano. Propostas que o PSOL, nas ruas e no parlamento, vem denunciando desde muito tempo. Os ataques deste governo corrupto e empresarial, comandado pelo PMDB e PSDB, exigem uma resposta unificada da classe trabalhadora. Sem dúvida é necessário um dia de paralisação unificada, que consiga parar a produção e os setores de serviços, comércio e o funcionalismo público. Também será fundamental a unidade com a juventude, os setores populares, os sem-teto, o movimento feminista, o povo negro, para construir gigantescas passeatas. Construir essa manifestação com toda nossa energia, por meio de assembleias e comitês de base nas diversas categorias, reuniões nos bairros, favelas, igrejas, escolas e universidades para construir comitês populares, plenárias estaduais e municipais das Centrais, Sindicatos e movimentos sociais, para coordenar as principais manifestações, pronunciamentos no parlamento, campanhas de divulgação massiva.

O PSOL, como em outros momentos, apoia e constrói a greve geral do dia 28 de abril e se coloca à disposição das Centrais e dos Sindicatos para ajudar no triunfo dessa mobilização unitária, para que a greve seja bem organizada com paralisações efetivas e fortes passeatas para barrar as contrarreformas de Michel Temer e Rodrigo Maia. Nossos militantes, dirigentes nos movimentos sociais, nossos parlamentares, estarão participando ativamente desse momento histórico.Convidamos nossos filiados e eleitores e se somarem nessa jornada, com a mesma dedicação de nossa última campanha municipal. É hora dos que moram no andar debaixo mostrarem sua insatisfação e repudio à terceirização, ao desmonte da Previdência e ao fim dos direitos trabalhistas.

São Paulo/SP, 1º de abril de 2017
Executiva Nacional do PSOL

Sobre o autor

Equipe da Secretaria de Comunicação Nacional