Bancada do PSOL na Câmara é contra a anistia ao caixa dois

Bancada do PSOL na Câmara é contra a anistia ao caixa dois

Nesta quinta-feira, a bancada do PSOL na Câmara soltou uma nota se manifestando de maneira contrária à tentativa de anistiar os crimes de caixa dois. Mesmo após o projeto ter sido barrado no Congresso ano passado, a discussão sobre o tema voltou à tona após a divulgação da lista de Janot.

Confira, abaixo, a nota na íntegra:

Lista de Janot não pode ser usada como argumento para anistiar crime de corrupção

Os depoimentos da Operação Lava Jato e a divulgação de novos pedidos de abertura de inquérito da Procuradoria Geral da República para investigar parlamentares fizeram ressurgir a possibilidade de votação na Câmara dos Deputados de proposta de anistia para o crime de caixa dois.

“É uma preocupação já que o próprio presidente da Câmara não descartou por completo a possibilidade de colocação dessa matéria na pauta, e a prerrogativa de incluir na pauta de votação é dele”, disse o líder do PSOL, deputado Glauber Braga (RJ).

Glauber se referia ao questionamento feito por ele ao deputado Rodrigo Maia, durante a reunião de líderes, na terça-feira (14), sobre os rumores de anistia ao caixa dois. Maia respondeu, naquele momento, que a pergunta deveria ser dirigida ao relator da comissão da reforma política, deputado Vicente Cândido.

No ano passado, durante o trâmite das dez medidas sugeridas por procuradores contra a corrupção, houve uma tentativa, na Câmara, por meio de uma emenda, que não tinha autoria. A emenda não chegou a ser votada.

“Seria uma forma de demonstrar claramente que isso não será votado se a Presidência da Casa dizer peremptoriamente que essa matéria não será trazida ao Plenário da Câmara dos Deputados, independentemente de ela ser votada ou avaliada em alguma Comissão”, analisou Glauber Braga. Para o líder do PSOL, a lista do procurador Rodrigo Janot não pode ser usada como justificativa para a anistiar políticos.

O PSOL é contra qualquer tentativa de anistiar a prática do caixa dois. Historicamente, o partido defende o financiamento público exclusivo de campanha, como forma de impedir a influência financeira nos mandatos e na gestão pública.

Bancada do PSOL na Câmara dos Deputados

Brasília, 16 de março de 2017

Sobre o autor

Foto de perfil de PSOL Nacional

Equipe da Secretaria de Comunicação Nacional