Marcha dos Servidores Públicos reúne 10 mil contra Temer e promete greve geral

Nessa terça-feira (13/09) pela manhã ocorreu em Brasília a Marcha dos Servidores Públicos, mais um ato da Jornada de Lutas de Brasília. Participaram do ato a Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra), o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) e sindicatos estaduais de várias categorias, dentre outros.

Segundo o Andes, cerca de 10 mil manifestantes estiveram no ato, entre servidores públicos das três esferas de governo e representantes de movimentos sociais e estudantis de todo o país. A concentração começou na Esplanada dos Ministérios às 9h e a marcha começou duas horas depois. O percurso incluiu uma parada no Congresso Nacional e o ponto final foi o Ministério da Fazenda, por volta das 13h30.

O ato faz parte de uma onda de protestos contra Michel Temer em todo o país, que contam com a presença desde estudantes secundaristas até o MST. Brasília tem sido o local de muita dessas manifestações, com protestos quase que diários. 
O objetivo da Marcha dos Servidores Públicos, além da saída imediata do golpista Michel Temer, é a interrupção das tentativas do governo em colocar na conta da população os efeitos da crise econômica. Dentre os retrocessos está o Projeto de Lei Complementar 257/16, apresentado em março pela Presidência da República, que condiciona a renegociação da dívida dos estados ao corte de investimentos no serviço público e arrocho salarial dos trabalhadores do setor. O PSOL já se posicionou contrário à medida.

 

Outro golpe nos trabalhadores é a reforma da previdência, que pode aumentar para 65 anos a idade para aposentadoria e a estabelecer a participação em fundos de pensão privados para manter a totalidade do benefício. Como já afirmou Ivan Valente (PSOL-SP), líder do PSOL na Câmara, a seguridade social trabalha com orçamento superavitário e não se justificam essas perdas ao trabalhador.

Segundo os servidores, pode ter início uma greve geral no país caso as solicitações não sejam atendidas. A Plenária Nacional Estatutária da Fasubra aprovou o aprovou a deflagração do Estado de Greve e a partir de agora vão ser realizadas assembleias periódicas para discutir o tema. No período da tarde as entidades se reuniram com suas categorias e amanhã ocorre ainda uma reunião dos servidores na tenda que está montada na Esplanada.

Sobre o autor

Equipe da Secretaria de Comunicação Nacional