“Há uma grande dívida do estado brasileiro com a população negra”

“Há uma grande dívida do estado brasileiro com a população negra”

Para marcar o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial (21/03), a Câmara dos Deputados realizou uma Comissão Geral para discutir soluções contra o racismo em áreas como educação, cultura e trabalho. Por indicação da bancada do PSOL, o presidente do PSOL de São Paulo e militante do Círculo Palmarino, Joselício Júnior, conhecido como Juninho, foi à tribuna fazer um pronunciamento em nome do partido.

“Se a gente não reconhecer a história de nosso país, marcada por quatro quintos sobre uma das maiores perversidades que a humanidade já produziu. Se a gente não reconhecer que a história desse país sempre foi da manutenção e perpetuação daqueles que estavam no andar de cima, que todos os projetos de transição, seja a independência, o fim da escravidão, a proclamação da República, o fim do Estado Novo, o fim da ditadura civil-militar, sempre foi pelo andar de cima. Então, há uma dívida histórica do estado brasileiro com a população afro descendente. E só é possível, de fato, mudar essas estruturas, tendo mais democracia. Não é com estado de exceção que nós poderemos garantir o avanço”, disse Juninho, após citar um poema de Solano Trindade, o poeta da resistência negra, ao repudiar o avanço de pautas conservadoras e o aumento da violência contra a juventude negra da periferia.

Confira, abaixo, a fala completa de Juninho.

"SÓ SERÁ POSSÍVEL ACABAR COM O RACISMO SE GARANTIR QUE NEGROS E NEGRAS TENHAM ESPAÇO DE REPRESENTAÇÃO”No marco do Dia…

Publicado por PSOL na Câmara em Terça, 22 de março de 2016

Sobre o autor

Equipe da Secretaria de Comunicação Nacional